As particularidades da depressão em idosos

Envelhecer não tem seu preço apenas sobre o corpo, mas, também, sobre a mente. Estima-se que 15% das pessoas de terceira idade que vivem em casa e 30% das que estão em centro especializados sofram de depressão.

Apesar destas cifras, a depressão em idosos não é tão discutida quando deveria. É preciso desenvolver a consciência da necessidade de ficar atento a amigos e familiares que estão nesta faixa etária: alguns traços característicos desta época da vida podem se tornar fatores de risco.

Depressão em idosos

Agravantes da depressão em idosos

Por décadas, vivemos em função da família, da carreira e da criação dos filhos, contando os anos para a sonhada aposentadoria.  Contudo, quando ela chega, muitas pessoas se deparam com um cenário muito diferente do que haviam imaginado: a independência dos filhos e o fim da carreira podem fazer com que os idosos sintam-se inúteis e improdutivos.

Além disso, há o aparecimento de doenças crônicas, como o Parkinson e o Alzheimer, assim como o falecimento de pessoas próximas – inclusive o cônjuge.  Tudo isto causa uma importante mudança na mentalidade dos idosos: seu sentimento de solidão, improdutividade e os sinais de que o corpo começa a falhar podem abrir a porta para a depressão.

Há uma maior prevalência da doença em homens do que em mulheres. Isto pode ser explicado pela mentalidade das gerações mais velhas: muitos homens acreditam que cabe a eles serem os provedores da casa. Consequentemente, parar de trabalhar pode ter um alto preço sobre a sua saúde mental.

Como prevenir a depressão em idosos

A solidão é um sentimento recorrente entre pessoas da terceira idade. Portanto, a chave para prevenir a depressão em idosos é dar atenção: faça com que ele se reúna com a família e os amigos regularmente, para que se ele se socialize e veja como é querido e importante.

LEIA TAMBÉM  Simone Biles revela uso de medicamento para tratar TDAH

Além disso, encorajar a pessoa idosa a se engajar em atividades prazerosas é importante para preservar a saúde mental: caso ela tenha sido ativa, incentive-a a participar de atividades físicas supervisionadas por profissionais especializados. Se ela gosta de música, converse com ela a respeito de fazer aulas de algum instrumento musical.

Os animais de estimação também têm um poderoso efeito sobre o cérebro, podendo impedir a chegada da depressão. Um estudo da Universidade de São Paulo constatou o impacto positivo que eles têm sobre a saúde, melhorando a imunidade e reduzindo a incidência de diversas enfermidades.

Por fim, no caso de perda do cônjuge, vale a pena prestar uma atenção especial ao idoso. Enquanto o processo de luto é perfeitamente normal, ou até mesmo saudável, ele pode evoluir para um caso de depressão geriátrica.

 

>> Como o Exame de Sangue pode ser útil no Diagnóstico e Tratamento para Depressão

>> O papel da internet na relação médico-paciente