Projeto Janeiro Branco

janeiro-branco

O mês de janeiro é tradicionalmente aquele em que fechamos para balanço: refletimos sobre o ano que passou, o que fizemos e o que deixamos de fazer. Com base nisso, fazemos resoluções para o ano que entra.

Em contrapartida, por mais que as pessoas reflitam sobre diversos fatores de sua vida (estilo de vida, trabalho, relacionamentos, etc), o número de casos de transtornos mentais sobe cada vez mais. Para abordar a importância do cuidado com a saúde mental, foi criada a campanha Janeiro Branco.

Janeiro Branco, o que é?

A campanha foi criada na cidade mineira de Uberlândia pelo psicólogo Leonardo Abrahão. Ele teve a ideia em 2014 como forma de melhorar o cuidado com a saúde mental dos habitantes locais.

O mês de janeiro foi escolhido justamente pela cultura de fazer resoluções e aproveitar novas oportunidades, de forma que as pessoas adotem o cuidado com sua saúde mental como pilar do ano que entra.

Já a cor branca vem da página em branco, da sensação de criar uma nova história que é trazida pela virada do ano. É um novo início, que pode ser permeado pelo cuidado com a saúde mental.

Projeto Janeiro Branco

A campanha Janeiro Branco já é lei em diversos municípios brasileiros, incluindo sua cidade natal. A iniciativa já se propagou pelo exterior e também é lei em cidades do Japão, Estados Unidos e Portugal. As ações incluem panfletagens, palestras e entrevistas com psicólogos em meios de comunicação.

Os eventos têm como objetivo desmistificar o tratamento aos transtornos mentais. O tabu que existe até hoje, de que ir a um psicólogo ou psiquiatra é “coisa de louco”, vem de décadas anteriores, onde as pessoas que sofriam de transtornos mentais eram sempre internadas em manicômios para escondê-los, como uma estratégia de higienização social.

Hoje, apesar de alguns preconceitos persistirem, o tratamento aos transtornos mentais já é mais humanizado. Os profissionais da saúde mental são melhor treinados para não apenas ter um ótimo trato com o paciente, mas com suas famílias. Eles atualmente trabalham com o objetivo de melhorar a qualidade de vida do paciente e reintegrá-lo à sociedade.

Tratamento para transtornos psicológicos

O ideal é que o tratamento para depressão, transtorno bipolar, ansiedade, entre outras doenças seja feito com uma consulta psiquiátrica e psicológica. Ambos os profissionais têm conhecimentos e funções diferentes no processo: enquanto o primeiro analisa questões comportamentais e ambientais que podem causar ou agravar a doença, o segundo corrige eventuais desequilíbrios químicos no cérebro, com o objetivo de atenuar os sintomas e melhorar a qualidade de vida do paciente. Juntos, eles são capazes de melhorar significativamente sua saúde mental.

 

>> Estudo liga ansiedade a doença cardíaca

>> Pesquisadores buscam biomarcadores da depressão e da esquizofrenia